Em duas horas de live, presidente do Crea-MA conversa com professores e alunos da Faculdade Edufor

Publicado em: 28 de abril de 2021

Durante duas horas, o presidente do Crea-MA, eng. civ. Luis Plécio, conversou com alunos e professores da Faculdade Edufor de São Luís no evento online organizado pela coordenadora do curso de Engenharia Civil, professora Valdilea Lopes, nesta terça, 27. Os convidados fizeram muitas perguntas sobre os serviços do Crea, tiraram dúvidas sobre registro e documentos necessários para o desempenho legal da profissão, bem como sobre mercado de trabalho para as engenharias no Maranhão e o concurso público para o Crea-MA.

“Uma das melhores lives que tive o prazer de realizar”, avaliou a coordenadora em suas redes sociais. “A participação do presidente foi impecável, muita disposição em trabalhar pelos profissionais, muito dinâmica, como deve ser. Sucesso total, atestou a professora.

O presidente Luis Plécio também ficou muito satisfeito com o nível de discussão e de propostas de melhorias para a atual gestão do Conselho que tem apenas três meses de atuação e já apresentou crescimento em todas as áreas, a exemplo da Fiscalização, que obteve 91,3% de avanço no comparativo com o primeiro trimestre de 2020. “Foi muito bom! Estarei sempre disponível para colaborar com a Edufor”, disse ele.

O superintendente de Fiscalização, Wesley Assis, acompanhou a live, e, aproveitando a oportunidade sobre o tema da fiscalização, sugeriu que cada um dos presentes agisse como potencial fiscal e registrasse as possíveis irregularidades no portal do Crea-MA. “É impossível acompanharmos todas as obras. Precisamos contar com a denúncia de vocês”, reforçou o superintendente sobre a denúncia que é anônima e pode ser feita pelo endereço www.creama.org.br/denuncia-online.

Valdilea Lopes abordou sobre a conscientização dos contratantes com relação ao piso salarial e quis saber como o Crea-MA estava agindo nesta área. “O dono da obra é capaz de pagar R$ 20 mil numa torneira, mas não quer pagar R$ 5 mil pelo projeto estrutural. Esses critérios precisam ser mudados”, alertou a coordenadora, obtendo a aprovação do presidente, que, mais uma vez, disse que o Crea precisa da denúncia sobre os contratantes que estão pagando salário abaixo do piso. “O que acontece muito é de o profissional informar o valor legal ao solicitar a ART, e depois da contratação, o valor do salário ser abaixo do declarado para a emissão da ART, e não tem como sabermos disso se o profissional não denunciar”, alertou Plécio.

Colaboração importante, também, foi a do professor da Edufor, Telmo Mendes, que falou sobre a importância do registro do profissional no Conselho. Não devemos entender o registro como algo ruim. Pelo contrário, o exercício da nossa profissão só é possível através do registro. Quem não é registrado está atuando com o exercício ilegal da profissão”, disse ele.

Outros assuntos de interesse foram abordados, como o mercado de trabalho no Estado. “Já reunimos com uma grande empresa para, juntos, implantarmos uma estratégia eficiente de banco de oportunidades no site do Crea-MA. Não queremos que seja apenas para ofertas de vagas e, para isso, estamos avaliando a forma mais eficaz para o aproveitamento de mão-de-obra local nas grandes obras”, disse Luis Plécio.

Ele também afirmou que haverá processo seletivo e/ou concurso público para contratação de fiscais, bem como destacou o Termo de Cooperação assinado com a Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), com objetivo de estágio dos acadêmicos no Crea-MA. E finalizou frisando que o objetivo do Conselho é ampliar a parceria para as demais universidades e faculdades.