Agricultura digital é tratada no último dia da 3ª Reunião da CCEAGRO.

Publicado em: 30 de novembro de 2020

Agricultura digital foi o tema da palestra apresentada pelo professor do Departamento de Engenharia Agrícola da Universidade Federal de Viçosa (UFV) Daniel Marçal de Queiroz, em 26 de novembro de 2020. No último dia da 3ª Reunião da Coordenadoria das Câmaras de Agronomia (CCEAGRO), realizado na sede do Crea-MG, Daniel falou como ocorreu a evolução da agricultura ao longo das últimas décadas, destacando que a mecanização agrícola foi um marco importante para melhorar as condições de solo a fim de facilitar a germinação das sementes e o crescimento das plantas. Ele também destacou que diversas tecnologias, como sensores e drones, estão sendo utilizados com mais frequência no campo para aumentar a produtividade agrícola.

O professor reiterou que o mundo está passando por uma fase de crescimento populacional bastante acelerado e que esse aumento traz desafios. “Temos hoje cerca de 7,8 bilhões de pessoas no mundo e em 2050 as projeções são para 10 bilhões. Maior população, maior a necessidade de alimentos. Então, nosso grande desafio é aumentar a eficiência dos sistemas de produção para garantir a segurança alimentar. Um dos fatores que deve contribuir para isso é a agricultura digital, que utiliza máquinas e sistemas inteligentes e faz uso de internet das coisas e da inteligência artificial para automatizar tomadas de decisões”, explicou.

A coordenadora adjunta da Câmara Especializada de Agronomia do Crea-MA, eng. Agro. Leida Souza, participou do evento.

Para o coordenador nacional da CCEAGRO, engenheiro agrônomo Thiago Castro de Oliveira, a 3ª Reunião da Coordenadoria foi produtiva em termos de participação e discussão dos assuntos apresentados. “Nesses três dias, participaram seis conselheiros federais, o presidente do Crea-MG, profissionais do Sistema e coordenadores [de Câmaras Especializadas] de Creas de 25 estados. Foi muito proveitoso. A palestra sobre agricultura digital foi muito interessante porque casou muito bem com a primeira do ex-ministro Alysson Paolinelli. A gente sai daqui com um pouquinho mais de conhecimento para levar para os nossos regionais”, ressaltou.  A próxima reunião da CCEAGRO será realizada virtualmente no dia 7 de dezembro.

No segundo dia da 3ª Reunião da Coordenadoria das Câmaras de Agronomia (CCEAGRO) a discussão foi em torno da fiscalização em hospitais. O assunto foi tratado pelos conselheiros federais por Goiás, Annibal Lacerda Margon e pelo Rio Grande do Sul, Andréa Brondani da Rocha. Segundo Annibal, a Comissão Nacional de Ética e Exercício Profissional (Ceep) elaborou uma nota técnica que discrimina todas atividades de fiscalização da engenharia nos hospitais. “Essa nota técnica detalha o que deve ser observado pelo fiscal para que quando adentrar ao hospital possa verificar qual atividade da engenharia está sendo praticada ali”, frisou.

Controle de pragas urbanas é uma das atividades que devem ser fiscalizadas nos hospitais. A conselheira Andréa também apontou a produção de fitoterápicos. “Existe uma rede de hospitais trabalhando com as chamadas farmácias vivas, fitoterápicos produzidos por engenheiros agrônomos que têm que ter responsabilidade técnica sobre a produção ou importação de lotes. Isso é regulamentado pela Anvisa e quem dá esse laudo é o engenheiro agrônomo”, destacou Andréa.

A fiscalização em unidades de saúde na região metropolitana de Belo Horizonte já tem sido feita pelo Crea-MG há mais de dois anos. O gerente do Departamento de Fiscalização, engenheiro agrônomo Humberto Falcão, presente à reunião, explicou como é o trabalho realizado pelo Conselho. “Aqui em Minas temos um ofício que entregamos aos hospitais, explicando que o Crea não vai fiscalizar a medicina, mas vai garantir o melhor desempenho dela ao fiscalizar as empresas que prestam serviços de engenharia”, realçou.

Outros assuntos tratados na reunião foram o Projeto de Lei 5.465/2019, que refere-se à rastreabilidade de agrotóxicos, a Resolução CFT 110/2020, que dispõe sobre atribuições dos técnicos industriais em meio ambiente, e requisitos básicos para a capacitação de peritos rurais.

Manual de Fiscalização Agronomia – O Manual foi aprovado pelos coordenadores de Câmaras Especializadas dos Creas. O coordenador nacional da CCEAGRO, Thiago Castro de Oliveira, reforçou na ocasião,  que as normas de fiscalização deverão ser validadas por meio de Decisão das Câmaras Especializadas dos Creas, não havendo a necessidade de adoção do rito especializado previsto pela Resolução nº 1.034, como foi decido em plenária do Confea. “Aprovado aqui na CCEAGRO, como ocorreu por unanimidade, o Manual já pode ser disponibilizado para os Regionais para que possam elaborar seus planos e, assim, fortalecer a fiscalização”, afirmou.

FONTE: SITE DO CONFEA (matéria editada)