ART de corresponsabilidade ou ART de equipe? Saiba aqui

 

Art. 11. Quanto à participação técnica, a ART de obra ou serviço pode ser classificada da seguinte forma:
III – ART de corresponsabilidade, que indica que uma atividade técnica caracterizada como executiva, objeto de contrato único, é desenvolvida em conjunto por mais de um profissional de mesma competência;
IV – ART de equipe, que indica que diversas atividades complementares, objetos de contrato único, são desenvolvidas em conjunto por mais de um profissional com competências diferenciadas.

Mútua decreta luto oficial de 3 dias pelo falecimento de seu presidente

Do Portal da Mútua

O dia começou com uma notícia extremamente triste para a Engenharia, a Agronomia e as Geociências: o falecimento do engenheiro civil Paulo Roberto de Queiroz Guimarães, aos 64 anos de idade. Ele foi vítima da covid, que o levou à internação, no Centro Médico de Campinas, no dia 18 de março último. Foram muitos procedimentos e tratamentos, numa batalha quase sem trégua, própria de casos mais graves e complexos da doença.

Presidente da Mútua, a Caixa de Assistência dos Profissionais do Crea, desde 2015 – tendo sido reeleito em 2018 para presidir a Instituição, Paulo Guimarães iniciou sua carreira na IBM. Era professor licenciado da PUC-Campinas, onde ministrou aulas por 27 anos. Engenheiro civil formado pela PUC Campinas, Pós-graduado em Administração e Educação, implantou e coordenou o Escritório Técnico de Apoio à Comunidade, praticando Engenharia Pública e Social, atuando, também, como profissional autônomo. Era integrante do Conselho Superior da Indústria da Construção (Consic), da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), e do Conselho Deliberativo da BB Previdência.

Paulo Guimarães foi conselheiro do Crea-SP e conselheiro federal do Confea por dois mandatos, de 1997 a 2002, sendo o primeiro coordenador nacional da Comissão de Educação do Sistema, hoje, Comissão de Educação e Atribuição Profissional (CEAP).

Após sua passagem pelo Conselho Federal, Paulo Guimarães foi eleito pelo Plenário do Confea para o cargo de diretor de Benefícios da Mútua para a gestão 2003/2006. Iniciou os estudos para desenvolvimento do plano de previdência complementar da Mútua, o TecnoPrev, lançado em 2004.

Foi reeleito para um segundo mandato à frente da Diretoria de Benefícios da Mútua (2006/2009). A gestão de Paulo Guimarães na Diretoria de Benefícios foi marcada pela criação de nove benefícios, entre eles, Apoio Flex e Veículos, os dois reembolsáveis mais solicitados nos últimos anos.

Na Presidência da Caixa de Assistência, comemorou, em 2017, o Jubileu de Rubi da Mútua – os 40 anos da Instituição – e esteve à frente de importantes conquistas e avanços, como a certificação de qualidade ISO 9001, a duplicação no número de associados, a consolidação do TecnoPrev como um dos melhores e maiores planos de previdência instituídos, a conquista do título das 150 Melhores Empresas para Trabalhar, entre muitos outros.

Ele nasceu em Campinas (SP). Paulo completaria 65 anos na próxima semana, dia 19. Deixa os pais: Lourdes Palma de Queiroz Guimarães e Francisco José de Queiroz Guimarães e a irmã Ana Maria Guimarães Protti.

Fonte: Gecom/Mútua

Grupo vai produzir Manual de orientação aos síndicos

Na Plenária do Crea-MA nesta terça, 4, foi aprovada a proposta do conselheiro eng. civ. Luís Hadade para a criação do Grupo de Trabalho Condominial. Ele justificou a necessidade do GT devido ao crescimento de condomínios verticais e horizontais multifamiliares em São Luís, com riscos eminentes de acidentes nas realizações de reformas e manutenções.

Entre as ações, vamos produzir um Manual para orientar os síndicos na elaboração de projetos e execução de obras e serviços, por meio de empresas e profissionais com registro ou visto no Crea, a fim de garantir a segurança e a qualidade na manutenção predial, informou.

O GT foi criado na Plenária desta terça, 4, onde também foram discutidos assuntos como o Relatório de Gestão 2020, o Balancete Analítico de fevereiro e o registro de Pessoa Física para estrangeiro portador de visto temporário, diplomado no exterior.
As reuniões acontecem na primeira terça-feira do mês.

 

Em duas horas de live, presidente do Crea-MA conversa com professores e alunos da Faculdade Edufor

Durante duas horas, o presidente do Crea-MA, eng. civ. Luis Plécio, conversou com alunos e professores da Faculdade Edufor de São Luís no evento online organizado pela coordenadora do curso de Engenharia Civil, professora Valdilea Lopes, nesta terça, 27. Os convidados fizeram muitas perguntas sobre os serviços do Crea, tiraram dúvidas sobre registro e documentos necessários para o desempenho legal da profissão, bem como sobre mercado de trabalho para as engenharias no Maranhão e o concurso público para o Crea-MA.

“Uma das melhores lives que tive o prazer de realizar”, avaliou a coordenadora em suas redes sociais. “A participação do presidente foi impecável, muita disposição em trabalhar pelos profissionais, muito dinâmica, como deve ser. Sucesso total, atestou a professora.

O presidente Luis Plécio também ficou muito satisfeito com o nível de discussão e de propostas de melhorias para a atual gestão do Conselho que tem apenas três meses de atuação e já apresentou crescimento em todas as áreas, a exemplo da Fiscalização, que obteve 91,3% de avanço no comparativo com o primeiro trimestre de 2020. “Foi muito bom! Estarei sempre disponível para colaborar com a Edufor”, disse ele.

O superintendente de Fiscalização, Wesley Assis, acompanhou a live, e, aproveitando a oportunidade sobre o tema da fiscalização, sugeriu que cada um dos presentes agisse como potencial fiscal e registrasse as possíveis irregularidades no portal do Crea-MA. “É impossível acompanharmos todas as obras. Precisamos contar com a denúncia de vocês”, reforçou o superintendente sobre a denúncia que é anônima e pode ser feita pelo endereço www.creama.org.br/denuncia-online.

Valdilea Lopes abordou sobre a conscientização dos contratantes com relação ao piso salarial e quis saber como o Crea-MA estava agindo nesta área. “O dono da obra é capaz de pagar R$ 20 mil numa torneira, mas não quer pagar R$ 5 mil pelo projeto estrutural. Esses critérios precisam ser mudados”, alertou a coordenadora, obtendo a aprovação do presidente, que, mais uma vez, disse que o Crea precisa da denúncia sobre os contratantes que estão pagando salário abaixo do piso. “O que acontece muito é de o profissional informar o valor legal ao solicitar a ART, e depois da contratação, o valor do salário ser abaixo do declarado para a emissão da ART, e não tem como sabermos disso se o profissional não denunciar”, alertou Plécio.

Colaboração importante, também, foi a do professor da Edufor, Telmo Mendes, que falou sobre a importância do registro do profissional no Conselho. Não devemos entender o registro como algo ruim. Pelo contrário, o exercício da nossa profissão só é possível através do registro. Quem não é registrado está atuando com o exercício ilegal da profissão”, disse ele.

Outros assuntos de interesse foram abordados, como o mercado de trabalho no Estado. “Já reunimos com uma grande empresa para, juntos, implantarmos uma estratégia eficiente de banco de oportunidades no site do Crea-MA. Não queremos que seja apenas para ofertas de vagas e, para isso, estamos avaliando a forma mais eficaz para o aproveitamento de mão-de-obra local nas grandes obras”, disse Luis Plécio.

Ele também afirmou que haverá processo seletivo e/ou concurso público para contratação de fiscais, bem como destacou o Termo de Cooperação assinado com a Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), com objetivo de estágio dos acadêmicos no Crea-MA. E finalizou frisando que o objetivo do Conselho é ampliar a parceria para as demais universidades e faculdades.

 

 

 

 

Confira: 1º trimestre atesta crescimento em todas as áreas do Crea-MA

Concluímos a avaliação do primeiro trimestre de 2021, com as projeções positivas confirmadas.
Os números mostram que avançamos não somente com relação a 2020, como também crescemos no comparativo com 2017, 2018 e 2019.
Temos números bastante significativos para quem faz o Crea-MA, como os números da Fiscalização, cujos relatórios saltaram 91,3% no comparativo com 2020.
E vale observar que os números de 2021 são do período crítico da pandemia de Covid-19, diferente dos três primeiros meses de 2020, uma vez que o primeiro caso de coronavírus no Maranhão deu-se em 20 de março do ano passado.
Protegendo a saúde dos servidores, por meio de revezamentos e de parte da equipe em trabalho remoto, conseguimos cumprir nossas metas.
Veja alguns destaques:
1º tri 2020- 2021
  • Fiscalização-Relatórios: +91,3%
  • ARTs: + 13,4%
  • CATs: + 68,4%
  • Análise de registro PJ: +73,2%
  • Análise de registro PF: + 14,7%
  • Decisões Câmaras: 1635%